O USO DA MAQUIAGEM NO PROCESSO DE AUTOCONHECIMENTO

01-11-2016

por Vanessa Esser

Comportamento

Me lembro bem de quando “Ela” entrou de vez em minha vida. Foi no ano de 2012, de forma curiosa e quase que sem pedir licença, durante um intercâmbio universitário que ela me ensinou a ter mais intimidade comigo mesma e a me amar mais. Confesso que eu não era muito chegada nela, afinal pra mim era difícil de acertar e confesso que nem sempre o resultado era tão legal assim. Calma, estamos falando da nossa amiga: a Maquiagem.




Por sermos mulheres, podemos admitir que de certa forma já é esperado que em algum ponto da vida venhamos a usar maquiagem, seja durante a nossa adolescência para chamar a atenção daquele “gatinho(a)” da sala de aula, para sair com as amigas na balada ou até mesmo quando damos início à nossa vida no mercado de trabalho. Em algum momento Ela estará lá conosco. Entretanto quero chamar a atenção de vocês para um dos momentos mais especiais e únicos em que podemos usá-la: no processo de autoconhecimento e construção da autoestima.

Eu não era uma menina vaidosa, na infância e pré-adolescência me considerava uma gordinha desajeitada, feia e pra piorar vivia sofrendo bullying na escola. Já na faculdade, confesso que a maquiagem ainda era algo assustador, até o dia em que fui fazer intercâmbio universitário no outro lado do mundo e que desde então tenho me revirado do avesso para conhecer melhor essa pessoa que olho no espelho todos os dias. Dessa forma, vou deixando aqui alguns conselhos do que tenho aprendido ao longo dessa caminhada no mundo das maquiagens:


1. RECEBA AJUDA DE OUTRAS MULHERES.

Quem me auxiliou muito nessa fase de descoberta foi a Kamilla, uma brasileira que também estava estudando Design (Moda) lá, que conheci por um acaso no trem, viramos melhores amigas e acabamos dividindo apartamento durante nossa estadia na Austrália. Pra começo de história, assim que nos mudamos ela jogou fora todas as minhas roupas — e isso foi maravilhoso e ao mesmo tempo assustador. Ela dizia: “Vanessa, você É tão linda, porque você se sabota dessa forma? Você precisa se conhecer melhor.”

Embora a Kamilla não fosse uma profissional dos pincéis, quando íamos sair para algum lugar, ela já se prontificava em fazer a minha maquiagem, dizendo: “Amiga, senta aí que eu vou cuidar de você.” As primeiras vezes foram assim. Ela não me deixava olhar no espelho enquanto não terminasse e no final eu sempre ficava boquiaberta com o resultado e em especial como eu me sentia ao me ver de uma forma diferente e “mais bonita.” Gostei.


2. TREINE.

Passei então a praticar mais quando estava sozinha em casa, olhando tutoriais na internet, errando e acertando. Porém, o mais importante era aquele momento olho-no-olho comigo mesma — aprendendo a conhecer mais sobre meus traços e características únicas. Então pensei, “Poxa, muito legal isso. Vou fazer novamente amanhã.” Com o passar dos meses fui me sentindo mais confiante ao usar os poucos produtos que tinha. Meus amigos e conhecidos no Brasil raríssimas vezes tinham me visto produzida, logo dezenas de curtidas no Facebook e Instagram me empolgavam, ainda mais com aqueles comentários típicos “Você está maravilhosa”, “UAU”, etc. Claramente, a sensação em ver tantos elogios era sensacional.


3. LEMBRE-SE: VOCÊ É LINDA.

Ter sucesso nas redes sociais é algo divertido, porém extremamente superficial e até mesmo perigoso. É como encher uma bexiga (ou balão) e não amarrar a ponta; ele esvazia rápido e você tem que ficar enchendo novamente. Por isso, entender a diferença entre “ficar” e “ser” linda é o primeiro passo. Não falamos “nossa, como ESTOU alta hoje”. Um salto alto pode deixar a pessoa um pouco mais alta, mas não modificará sua altura real e assim é com a beleza — simplesmente somos, então lembre-se: você É linda.


4. CUIDE-SE.

A maquiagem que usamos para o cotidiano e momentos especiais tem a função de nos auxiliar nesse processo de realçarmos essas características únicas que temos, fazendo parte de um processo de aceitação e da construção da nossa autoestima. E Isso é o que eu chamo de amarrar bem uma bexiga/balão. Lembrando que, se não cuidar do balão cheio, ele pode murchar com o tempo. Da mesma forma, o cuidado consigo mesma é uma rotina diária que na maior parte das vezes precisa ser feito de dentro para fora (mentalmente, emocional, nutricional, etc) e que com certeza refletirá no seu exterior.

Quando falamos em etapas na maquiagem, em primeiríssimo lugar vem o cuidado com a pele, bem antes de qualquer base poderosa entrar em ação. Escolher os melhores produtos para seu rosto é um passo importante no autoconhecimento, afinal é preciso buscar informações a respeito do seu tipo de pele/rosto/corpo para saber escolher o que é adequado à você, assim seu corpo agradece e o bolso também. Para facilitar, conte com a ajuda de dermatologistas e especialistas, mas nunca subestime o poder do momento entre você e seu espelho. Seu corpo fala e você precisa começar a ouvir.


5. O DEMAQUILANTE É SEU AMIGO E NÃO SE MAQUIAR TAMBÉM FAZ BEM.

Conforme fui adquirindo mais habilidade com os pincéis, fui aprendendo alguns truques que, digamos assim, tem o poder de transformar um rosto. Aumenta daqui, diminui dali e pronto, meu rosto ficava um claro exemplo de “Antes e Depois” dos programas de domingo a tarde. Eu investia horas me arrumando e isso me fazia eu me sentir muito bem comigo mesma. Ótimo. Até que um dia acordei atrasada para o trabalho, meu secador de cabelo queimou e eu fui trabalhar “ao natural”. Não vou dizer que foi algo confortável pra mim, afinal ver várias cabeças virando para me ver e ter que ouvir frases como “Nossa, o que aconteceu com você hoje? Está tudo bem?”, “Como você é diferente sem maquiagem e escova, não parece a mesma pessoa” me deixaram com muita insegurança — confesso. Tá certo que se não fosse pra parecer pelo menos um pouco diferente ninguém usaria maquiagem, certo? Mas espere aí, essa SOU EU. É quem eu sou depois de chegar em casa e passar o demaquilante no rosto.

Decidi daquele dia em diante que as pessoas, e eu também, precisariam entender de que a maquiagem é apenas uma ferramenta que eu utilizo e não a minha pessoa. Então, passei a ir mais vezes sem maquiagem. Os olhares estranhos e os cochichos diminuíram e eu entendia cada vez mais sobre a liberdade de ser quem sou — usando ou não maquiagem.


6. PASSE A CORRENTE ADIANTE.

Ah! Não contei como virei maquiadora profissional, não é? Antes de voltar para o Brasil, a Kamilla disse algo que mudaria minha vida pra sempre: “Passe a corrente, melhore a vida de outras mulheres”. Comecei então maquiando e ensinando minhas colegas de apartamento, amigas próximas e familiares. Era impressionante vê-las suspirando com os olhos brilhando ao se olhar no espelho.

E é dessa forma eu também gostaria de te encorajar a passar adiante essa corrente de cuidados, primeiramente consigo mesma e durante a caminhada, quando tiver oportunidade, para outras mulheres que assim como você e eu precisam descobrir um novo mundo dentro delas.


Você também poderá gostar deste artigo: 6 dicas para simplificar a escolha de suas roupas

Vanessa Esser

Uma designer curiosa e inquieta sempre em busca de soluções inovadoras e novas metologias. Sou formada em Desenho Industrial - Programação Visual pela PUC-PR em 2014, com ênfase em Visual Arts & Design pela Australian Catholic University, atuo como designer gráfico desde 2009, tendo como foco a criação de identidades visuais, branding e a criação de projetos editoriais. ​ Apaixonada pela arte da beleza e a mágica das transformações, também sou maquiadora nas horas livres. Através das melhores especializações, busco realçar ao melhor da beleza em minhas clientes sempre focando na essência e singularidades de cada uma. http://www.vanessaesser.com